NOTA ! Este sítio utiliza cookies e outras tecnologias semelhantes.

Se não alterar os parâmetros do seu navegador, está de acordo. Saber mais

Compreendo

ArteAzul-Atelier

 

Utilizamos cookies para personalizar conteúdo e anúncios, fornecer funcionalidades de redes sociais e analisar o nosso tráfego. Também partilhamos informações acerca da sua utilização do site com os nossos parceiros de redes sociais, publicidade e análise. Ver detalhes


Apenas alguns artigos sobre tecnologia e internet

Informática [ Formação ]

A expressão francesa "information automatique" terá dado origem ao vocábulo "informatique" que, traduzido para a língua portuguesa, resultou "informática".
No dicionário "LAROUSSE", dicionário da língua francesa na sua versão online, após tradução para português, lê-se que informática é a ciência do processamento automático e racional de informações consideradas como suporte de conhecimento e comunicação.

Publicidade no ArteAzul-Atelier

Alguns frequentadores leitores deste sítio do ArteAzul-Atelier têm questionado, apenas pela simples curiosidade, sobre a publicidade inserida nas suas páginas, em arteazul.net. De facto, de um modo geral, a publicidade é uma constante em todos os meios de comunicação, sendo a internet um ambiente privilegiado para as pessoas e empresas realizarem a divulgação de serviços e produtos.

Jogos Populares Infantis, em Barcelona

Alzira Cabral, em viagem por Espanha, enviou-nos um vídeo da sua autoria, de Barcelona, concretamente da Carrer del Robi, Barrio de Grácia. As imagens, do dia 17 de junho de 2017, têm todo o interesse dado que nesse bairro da capital da Catalunha, os seus habitantes têm por hábito manter algumas tradições e assim preocupam-se em transmitir aos seus filhos os jogos populares que, antes do aparecimento das tecnologias modernas, faziam já parte dos momentos de diversão nas ruas da cidade.

A Tecnologia

A tecnologia inova, gera progresso, facilita a evolução. Mas a filosofia de vida consolida o saber global, explica os avanços e os recuos e dá coerência à vida dos povos que nem sempre sabem rever-se nos ensinamentos cósmicos inscritos na ordem natural. A filosofia é a mãe de todas as ciências, investigando-as até aos seus mais ínfimos pormenores. Esta dialética não deve alienar-se dos saltos qualitativos que vamos constatando, através dos avanços científicos que às vezes nos deixam peripatéticos.

Corrigir "Force SSL", em Joomla

A expressão "Secure Socket Layer" - SSL - diz respeito, sucintamente, à segurança exigida, hoje em dia, em websites, muito especialmente em lojas online, onde um certificado de segurança se torna essencial, de modo a garantir aos utilizadores que os seus dados pessoais estejam devidamente guardados; para além, evidentemente, dos bancos online e outras instituições que possuem certificados de segurança de topo.

Não é objetivo deste pequeno artigo explicar a temática da segurança na internet, assunto vastíssimo e de grande complexidade que deixamos aos informáticos experts, mas sim dar conta de um pequeno erro relacionado com o tema mencionado que, por descuido, pode facilmente ocorrer nas configurações de uma plataforma Joomla:

No painel de controlo daquela plataforma, na área da Configuração Global (Global Configuration), existem cinco opções de navegação - Site | System | Server | Permissions | Text Filters. Abramos o separador "Server" - Server Settings. Na quarta linha de Server Settings encontram-se três opções de escolha para "Force SSL": "None", "Administrator Online" e "Entire Site". Por defeito, a configuração é "None".

A chamada de atenção que fazemos é manter a opção "None", a não ser que previamente se tenha ativado no próprio servidor um certificado válido de segurança. De contrário, optando-se pelas opções "Administrator Online" ou "Entire Site" e gravando no sistema, a área de administração ou esta e o sítio que suporta a plataforma Joomla resultam sem acesso.

Como corrigir este problema?

É necessáro aceder aos ficheiros do alojador web que estruturam o site e a área de administração. Procure-se e abra-se a pasta que inclui todos os ficheiros da plataforma. Aí encontrar-se-á o ficheiro "configuration.php" que deve editar-se para poder fazer-se uma pequena alteração. Ficheiro editado, procure-se agora o comando

public $force_ssl = '2';

A pequena alteração consiste em alterar 2 para 0 (zero), resultando 

public $force_ssl = '0';

Grave-se o documento e, naturalmente, site e respetiva área de administração ficarão disponíveis novamente.

Publicidade de qualidade através do programa AdSense

À partida, a publicidade, a não ser para os seus profissionais, é tema que não interessará à maioria das pessoas. Mais ainda: da parte de muitos, constituirá assunto pouco importante e mesmo causador de verdadeiros incómodos, especialmente quando é efetuada de um modo intrusivo como a que se verifica através de chamadas telefónicas para telefones fixos e móveis, nas horas mais impróprias, ainda por cima, inúmeras vezes, levada a cabo em medíocres modos de dicção, sem qualidade na leitura do guião a notarem-se erros grosseiros de gramática, não se prestigiando assim a publicidade com qualidade.

Spectrum - cores, gráficos e jogos

Segundo artigos da década em que apareceu o ZX Spectrum - 1982 -, este pequeno computador de dimensões sensivelmente iguais a 23cmx14cmx3cm vinha equipado com "poderosos" comandos gráficos, podendo assim o utilizador melhorar os seus programas através de instruções simples de usar, capazes de produzirem uma vasta gama de efeitos. Deste modo, existiam na máquina oito cores, contando o preto e o branco, numeradas entre zero e sete. Comandos como "PAPER" e "INK" eram usados, respetivamente, para dar cor ao fundo do écrã de visualização e à impressão dos carateres. Quando se ligava o Spectrum, o fundo e a margem surgiam automaticamente a branco e os carateres inseridos a preto.

Recorde-se que o monitor utilizado e associado ao Spectrum era o aparelho de televisão e a gravação dos programas era efetuada em cassetes audio. Nestas eram também guardados os jogos disponíveis no mercado como por exemplo o "Manic Miner", hoje incluído no grupo dos chamados jogos de plataforma e o "Superchess", jogo de xadrez - um e outro com diferentes níveis de dificuldade.

Débeis condecorações

Isto compõe-se e Marcelo ajuda bastante...

Vejam este texto que me chegou a Edmonton... Temos tanta gente pelos nossos concelhos que em vez de vociferarem contra quem quer o melhor para Portugal quer o melhor de Portugal... Ainda há pouco num texto meu questionava se o Padre Lourenço Fontes e o Dr. Barroso da Fonte não mereceriam ser reconhecidos. São os ventos das comadres e compadres que por aí andam... nem que seja a comadre uma senhora do corte e cose ou um senhor de pente, tesoura e navalha de barbear...

Ler mais...

Queijos

Queijos de leite cru e pasteurizados

Roquefort
O visionamento de um programa televisivo francês com legendagem em português, em 24-08-2017, no Canal 2 da RTP, sobre algumas marcas de queijos franceses, sugeriu este artigo, com destaque para o queijo "Roquefort". De facto, o texto que se segue é tão simplesmente a transcrição de parte desse programa, com alguns acrescentos, e que resolvemos inserir na rubrica "Gastronomia".
"A França é conhecida também como a grande produtora da maior variedade de queijos – mais de 1000!
Existem queijos feitos com leite cru e queijos feitos com leite pasteurizado. Um dos queijos mais célebres em França é o Roquefort, sendo os mais preferidos o queijo "Emmental" e o "Camembert".
Ler mais...

S. Matias

Pelo S. Matias

Em Fevereiro, foice ao fumeiro.

Pelo S. Matias começam as enxertias.

Casa que não seja ralhada não é governada.

Reflexões do Poeta

No seu (dele) dia

Olha do alto o país e surpreende-se. Não o incomodam as porcarias que os pombos doentes lhe deixam em cima, ignora a pressa de quem nem o olha, acolhe com tolerância os cansaços que procuram a sua sombra sem lhe pedir autorização. Nada disso, por muito que seja, é suficiente para lhe perturbar a paz de pedra, a intemporalidade da permanência ou a segurança do lugar. O que o incomoda, violentamente, é a memória de um povo que já o não é, que esqueceu a Razão, desvalorizou a experiência, menosprezou a essência, manchou a história e faz a realidade de desvalores despidos de sentido.

Incomodam-no os discursos gastos, as condecorações abusivas que o fazem gritar do mutismo da pedra: "Mais vale merecê-los sem os ter, que ter sem os merecer". É o seu dia! E sorri com tristeza. O seu dia… feito de tudo o que despreza, recheado de factos que o fazem desejar, agora, nunca ter conseguido libertar-se da "lei da Morte". Ele, o Poeta - como lhe chamam, esse mesmo que apavora alunos e ainda encanta os resistentes leitores, relembra os seus versos e interroga-se sobre o efeito dos mesmos. Sim, cantou o Amor "Amor é fogo que arde", mas hoje a chama parece vir de isqueiros eléctricos, sem autenticidade, sem calor sequer. Sim, cantou a saudade da amada "Alma minha gentil que te partiste, tão cedo desta vida descontente", mas hoje os afectos são de reduzida duração. Sim, enalteceu a experiência "Mais vale experimentá-lo que julgá-lo", mas, hoje, todos julgam sem saber de que falam, porque falam ou como falam. Sim, elogiou os portugueses "Eu canto o peito ilustre lusitano", mas, hoje, o lusitano não tem peito, só bolso. Sem fundo, sem limite, bolso apenas!!

Triste, indiferente ao Hino que sabe ser cantado em Santarém, olha o Tejo. Não há ninfas já. Olha melhor, quer sentir que tem de ser possível, mas apenas vê garrafas de coca-cola vogando, pernas mais ou menos musculadas correndo nas margens e presenças ausentes de sentido luso.

É o seu Dia! Também o de Portugal e o das Comunidades. E a pedra gasta e suja disfarça a vergonha que o faz corar de revolta. Porque será que nem as palavras têm sentido, que tudo lhe parece tão intensamente triste e vazio? 

Vendo passar um abraço forte, um olhar lascivo num corpo despido, sente a dor de não poder chorar. Ele, ele mesmo que cantou o sofrimento intenso do Gigante ousado que se fez promontório, revolta-se, agora, face à ligeireza da palavra que tão fortemente lhe ocupava os sentidos. Mas, é o seu Dia! E, com a frieza da pedra que o imortaliza, pede aos Homens a mudança. Que volte a Portugal a Razão, a Verdade, a Nobreza e o Amor. Que este país que o festeja consiga, depressa!!, recuperar algo da sua essência... E volta a olhar Tejo, cantando: "Ó  glória de mandar, ó vã cobiça//Desta vaidade, a quem chamamos Fama".