NOTA ! Este sítio utiliza cookies e outras tecnologias semelhantes.

Se não alterar os parâmetros do seu navegador, está de acordo. Saber mais

Compreendo

ArteAzul-Atelier

 

Utilizamos cookies para personalizar conteúdo e anúncios, fornecer funcionalidades de redes sociais e analisar o nosso tráfego. Também partilhamos informações acerca da sua utilização do site com os nossos parceiros de redes sociais, publicidade e análise. Ver detalhes

Este Fernando Nobre que é um senhor daqueles a quem devemos tirar o chapéu, foi nas eleições para as Presidenciais e supomos vais ser agora para as Legislativas que vêm aí, no próximo dia 5 de Junho, o político mais destacado e conquistador de simpatia. Não admira por isso que para conquistar votos algumas forças ditas de esquerda, como o PS, tenham tentado arrebanhá-lo para as suas fileiras e assim poderem servir-se de um autêntico democrata, sem partido, para sua bandeira de campanha eleitoral. 

Homem generoso e humanista como é jamais se juntaria à malta da bagunça que deu cabo deste nosso Portugal e só por patriotismo e confiança no social-democrata Passos Coelho aceitou integrar, como independente, as listas do PSD, como cabeça-de-lista por Lisboa e simultaneamente candidato à Assembleia de República. Tem pouca visão política quem não vê nesta atitude do Dr. Fernando Nobre um acto generoso e condizente com o seu próprio apelido tanto mais que é nos locais de decisão que devem estar os homens com capacidade para governar um país à espera de quem o governe sem corruptos na governação.

Oxalá não venham também do interior do PSD as criticas, os contras e as  contradições  que ontem ouvi ao encerrar do Congresso do PS e acabei agora de ouvir da boca do Dr. Vital Moreira que o acusa de falta de nobreza por esta decisão. Eu antes direi: falta de nobreza tem o comuna Vital Moreira que para ter tacho alambazado se ligou ao PS, já Fernando Nobre além de não estar filiado em partidos, não diz mal de ninguém, nem quando em campanha para as presidenciais. Só então não votei nele por respeito a Cavaco.

Alto Douro Vinhateiro

Vale do Douro - Pinhão

O Alto Douro Vinhateiro, o Douro como é conhecido, foi classificado pela UNESCO, em 2001, como Património da Humanidade.

Todas as palavras serão poucas e mesmo muitas dificilmente descreverão com precisão a beleza e grandiosidade desta região. Para a entender, é necessário entrar nela, observá-la na sua História, conhecer as dificuldades do homem que moldou estas encostas e encantar-se com a sua paisagem. É evidente que vir ao Douro e não beber do seu vinho,...

Assim, conforme as suas inspirações e diferentes visões, vários são os artistas que o representam e os poetas que o cantam.

 

Quatro exemplos:

 

António Cabral: 

Douro, meu belo país do vinho e do suor,
bárbaro canto arrancado à penedia
por um destino que nos faz andar
da alma para os olhos, dos olhos para a alma!

 

Guerra Junqueiro: 

Terra ingrata,
Onde a urze a custo desabrocha,
Comendo o pó, bebendo o sol,
Mordendo a rocha.

 

Miguel Torga: 

Doiro, rio e região, são talvez a realidade mais séria de Portugal.

 

João de Araújo Correia: 

Tem montes que não deixam de crescer,
Videiras que ninguém pode contar,
Oliveiras que vivem a rezar
E um rio que não pára de correr.

Obter uma Plataforma Joomla

Forma fácil de obter uma plataforma Joomla

A forma mais fácil de obter uma plataforma Joomla é subscrever um serviço de alojamento web num servidor que, de um modo prático, com meia dúzia de cliques, a disponibiliza automaticamente e ao mesmo tempo configurando uma base de dados que lhe servirá de suporte. Assim, uma pesquisa na internet é importante para escolher um desses servidores. Expressões em língua inglesa como por exemplo "top host", "top web host", "web hosting" ou em língua portuguesa - "alojamento web" -, devem ser utilizadas no motor de pesquisa Google a fim de serem encontradas listas de servidores pagos, evidentemente, mas a preços acessíveis, capazes de fornecerem incluída no pacote de alojamento para websites a tecnologia que fornece a plataforma Joomla. Considere-se então um ou dois sites que mostrem os top's de alojamento web (Web Hosting) a nível global e comece-se a investigar a caracterização dos serviços de cada empresa. Facilmente se chegará à conclusão que os serviços prestados por cada uma dessas empresas de alojamento web são sensivelmente iguais, tornando-se difícil a escolha. No entanto, há que optar e, de certo modo, arriscar no servidor web que vamos utilizar e ao qual pagaremos uma anuidade que poderá oscilar entre os 75 e 100 euros, dependendo das funcionalidades a subscrever.

Interessa, para o efeito, encontrar dentro das características de cada serviço algumas funcionalidades descritas pelas expressões MySQL Databases -, PHP 5 -, Script Installs -, Instant Shopping Carts, Blogs, Portals, -, mas especificamente algo relacionado com a expressão - Joomla Hosting -, equivalente a alojamento Joomla ou alojamento web que suporta a plataforma Joomla.

Mogadouro

Vila de origem muito antiga, existindo já com certo relevo nos primeiros tempos da Monarquia.

Locais a visitar: Panorâmica da Serra da Castanheira, Miradouro do Santuário de S. Cristóvão, Barragem de Bemposta. Casa de Trindade Coelho.

Monumentos: Castelo de Mogadouro, Castelo de Penas Roias, Castro Vicente, Igreja Matriz de Mogadouro, Algosinho e Azinhoso, Igreja do Convento de S. Francisco (séc. XV), Capela de Nossa Senhora da Vila Velha e Solar dos Morais Pimentéis em Castelo Branco. Monóptero (Santuário em Honra de S. Gonçalo, construído pelos Távoras na Quinta Nova). Solares e Pelourinhos.

Gastronomia: Posta (vitela assada na brasa), Folar da Páscoa, Presunto e Enchidos. Queijo de Ovelha, Mel e Casula.

Romarias: Feira dos Gorazes (15-16 de Outubro), Festa de Nossa Senhora do Caminho (Agosto - Mogadouro), Festa do Chocalheiro (dia de Natal - Bemposta), Romaria de Nossa Senhora da Ascenção (último Domingo de Maio - Castanheira), Festa de Santo Amaro (3º Domingo de Junho - Sanhoane), Festa do Farândulo e Cécia (1º de Janeiro - Tó).

Artesanato: Artefactos de linho, lã, seda, couros, cutelaria e belas colchas em renda.

Dados recolhidos do folheto informativo "Nordeste Transmontano" da Região de Turismo do Nordeste Transmontano

Jorge Golias

Jorge Golias na história do 25 de abril

Foi com grande prazer e orgulho que há anos sugeri a vinda a Mirandela, do Tenente-Coronel Eng. Jorge Golias, para uma comunicação sobre o 25 de Abril. Achava que esta figura incontornável do Movimento das Forças Armadas e dos Capitães de Abril não podia ser esquecida na sua terra. Bastou-me ter uma conversa ou outra para me aperceber da sua imensa cultura. Posso dizer com certeza, que este ilustre Capitão de Abril, é dos mirandelenses mais cultos. Nos tempos leves que correm é, também, no seu modo de ser e estar, dos mais simples. Sobre os 40 anos do 25 de Abril, está a publicar, no Notícias de Mirandela artigos, sob o título «25 de Abril – 40 anos depois» e que fazem História, já que Jorge Golias é autor e, também, foi actor, pelo que aconselho atenta leitura.

Pelos 40 anos do 25 de Abril foram, publicados 8 volumes, distribuídos pelo jornal «Correio da Manhã», da colecção «Os Anos de Abril», com importante galeria de autores e actores, incluindo o nosso ilustre mirandelense, com textos seus no volume 8 sobre a ex-Guiné Portuguesa. Todos os que escrevem citam Jorge Golias pelo papel na génese do MFA e a sua actuação na Guiné no período de transição de poderes. Com nome na História, foi sempre chamado a participar nas datas redondas dos 10, 20, 30 e agora 40 anos. A sua modéstia e estatura moral e cívica, levaram-no a abdicar dos direitos de autor e oferecê-los à Associação 25 de Abril. Mais ninguém teve este gesto. Parabéns, Jorge!