NOTA ! Este sítio utiliza cookies e outras tecnologias semelhantes.

Se não alterar os parâmetros do seu navegador, está de acordo. Saber mais

Compreendo

ArteAzul-Atelier

 

Utilizamos cookies para personalizar conteúdo e anúncios, fornecer funcionalidades de redes sociais e analisar o nosso tráfego. Também partilhamos informações acerca da sua utilização do site com os nossos parceiros de redes sociais, publicidade e análise. Ver detalhes

 

"Matrafona": espaço de opinião especial, ...a brincar, ...sem ofensa

A cerimónia dos Óscares, sob o olhar de NetBila News

Como é do conhecimento público, alguns erros e inconveniências aconteceram na sessão cerimoniosa da entrega dos óscares - Prémios da Academia - acontecimento organizado pela Academia de Artes e Ciências Cinematográficas, em Los Angeles, Califórnia, nos Estados Unidos da América.

Invasão de pinguins, em Vila Real

- Invasão de pinguins?

- Não, não acredito...

- É verdade! Estávamos aqui e vimo-los às centenas. Acredite...

Fundos: obrigação de acolher para contribuir

O burburinho começa lentamente a instalar-se num ambiente descontraído, falsamente descontraído, quem sabe, fluido como se deseja neste tempo que antecede a  reunião para que todos foram convidados: pequenos empresários, simples negociantes, expositores, artistas, artesãos, curiosos, representantes regionais de partidos políticos. As escadas de acesso à antecâmara deram suporte aos primeiros cumprimentos ou só acenos, uns espontâneos, outros diplomáticos.

Expressivo e mordaz azulejo de Toledo

Reza um velho, expressivo e mordaz azulejo de Toledo (Espanha) a propósito dos políticos que se governam:

A sociedade é assim:

O pobre trabalha;

O rico explora-o;

O soldado defende os dois;

O contribuinte paga pelos três;

O mandrião descansa pelos quatro;

O borracho bebe pelos cinco;

O banqueiro esfola os seis;

O advogado engana os sete;

O médico mata os oito;

O coveiro enterra os nove;

O político vive à custa dos dez.

Os espanhóis sempre foram pródigos na apreciação dos políticos. Hoje, por cá, até chamam crise ao desgoverno do país. Se cada investimento ou gasto ruinoso para o país pagassem com a roupa ou com o pêlo… políticos e administradores eram bem menos e mais sensatos. Pelo menos, alguns não eram tão aldrabões.

Outras recordações

Congressos. Reuniões. Outras recordações. Anos disto, anos daquilo e mais anos disto e daquilo. Pregões, anúncios, proclamações. Valores e ética e os mesmos de ontem, os do bolso, sempre. Obscurantismo, liberdade, democracia. Liberdade de expressão, pois então! Cultura! Valores da iluminura a ultrapassar barreiras e cores… e os barreiros tão perto.

Circulação nas auto-estradas portuguesas

Não é "verdade" que, por causa da crise em Portugal, as auto-estradas ficaram vazias!

Como se verifica na foto obtida recentemente, um rebanho circulava com velocidade moderada, conduzido pelo seu cão pastor, ordenadamente pela mão direita como determinam as regras!

Descansem os automobilistas mais escrupulosos: o rebanho, com umas cem cabeças, mais ou menos, percorria ainda um dos acessos à auto-estrada, talvez em direção ao pasto do monte adjacente.

O tempo, hoje

Nas ilhas, as ondas batem de maneira diferente, também não é para admirar, o vento sopra mais forte e a insularidade tem destas coisas: o arregaçamento dos olhos é muito mais insistente e consegue mesmo afugentar, de um modo expedito, os cabeça grossa com várias fiadas de dentes que apesar de o serem se escondem no redondo das pedras negras.

No continente, o clima é mais uniforme. Desde há muitos anos o sol dá-nos constância de luminosidade. Diariamente, o descartado correio teima em embrulhar-se no mesmo papel e as parangonas repetem-se em novelas que o povo ama, como se diz e é moda. Aos comentadores não falta matéria-prima, continuando em engasgos comentários usando taxímetro a faturar. Esses sim, comadres de soleira de portas, mas figuras respeitadas e, evidentemente, angélicos intocáveis.

Segundo alguns mais atentos, ninguém perguntou, ontem, na assembleia à volta da extensa mesa, para onde ia o dinheiro dos que se dizem empresários do lado antigo. Apesar de sombroso e pouco esclarecedor o debate, conseguiu, contudo, antever-se uma quantidade enorme de roupa suja, certamente impossível de lavar-se pois não haverá, hoje em dia, máquinas suficientes e as que existem encontram-se naturalmente em mau estado de conservação, não se aconselhando substituições mas sim a sua reciclagem fazendo, para iniciar o processo, o ressurgimento de sucatas entretanto desmanteladas.

Demarcando-se como convém, a terreiro vieram alguns com a celeridade do costume, contribuindo fortemente para a riqueza de títulos por todos reconhecida como inequívoca.

A gastronomia continua a ser avaliada como a melhor, sempre que televisões ou degustadores conceituados andam por perto.

Saliente-se, para terminar: cento e cinquenta mil euros estarão à disposição de qualquer criatura que, determinada, deseje colocar-se num posição inspiradora de enaltecimento, contrariando a ideia de que as forças nacionais destacadas serão o melhor veículo de projeção de imagens.

Peixes no rio Tua

Mortandade de peixes no rio Tua

Hoje sabe-se que quer os animais, quer as plantas estão mais próximos do homem do que durante séculos se pensou. Para definirmos os seres vivos foi criada há cerca de 20 anos a palavra biodiversidade. Outrora havia as instituídas troviscadas em que se acandilavam os peixes com o veneno do trovisco, com o fim de o apanhar melhor. Depois veio a caça ilegal com bombas que matavam grandes e pequenos e muito contribuíram para a diminuição do peixe nos nossos rios. Faziam-se os cebadouros que atraíam os peixes do rio e depois à tardinha, no pino da canícula ou ao raiar do sol lá se ouviam as bombas.
Ler mais...

Eça de Queiroz

Cartas Inéditas de Eça de Queiroz

Meu querido Oliveira Martins

Estive hontem ainda bastante  incommodado; estou agora á espera do meu Doutor; e não creio que possa ainda hoje fazer essa peregrinação de amizade a Santo Anthero e ao bom Lobo. Pois appetecia-me bem esse passeio !

Estou aborrecido com a persistencia d'este incommodo e indignado por ter descoberto que a sua causa está n'estas comidas do Hotel feitas á francesa.

Sempre a França, e a relles traducção que d'ella fazemos ! Tudo isto se deve á revolução de 89; e eu agora sempre que me dirijo ao Water-Closet, de calças na mão, vou rosnando as peores pragas contra os Encyclopedistas !

Quando voltará este desventuroso paiz á sua tradicção que é o Snr. D.João VI, o padre, o arrieiro, o bello caldo de gallinha, e o rico assado d'espeto, e o patriotico arroz de forno ! Mas não ! Querem ser liberaes,, philosophos, francezes, polidos, ligeiros... Consequencia : o paiz como tu sabes, e eu com soltura ha oito dias. Irra !

Vê se me mandas outro Friedlaender (que trate do luxo, das bellas-artes, etc.). e se fores á Povoa, dá grande abraço a querido Anthero e a velho amigo Lobo.

Teu do C. Queiroz

in Eça de Queiroz - A sua Vida e a sua Obra - Cartas e Documentos Inéditos, de António Cabral

Lenda da Nossa Senhora das Candeias

Paredes, freguesia de S. Lourenço, concelho de Sabrosa

Numa bela noite, 2 de fevereiro, ia um caminheiro com os seus dois cavalos carregados, que ficaram atolados naquele histórico atoleiro.

Era homem de boas ideias. Pediu à Senhora das Candeias, foi ouvido e Nossa Senhora apareceu com uma candeia na mão; alumiou-o e seus cavalos desenterrou, acompanhando-o à povoação (Paredes).

- Está visto que o homem tinha bom coração; diz o contador desta história - Delfim da Silva Monteiro - natural e residente naquele lugar.

Era uma noite rigorosa com muita chuva e neve que apanhou desprevenido o almocreve. Nossa Senhora a esse homem disse que nada dissesse, mas ele não pôde resistir ao que viu. Foi um Milagre! 

Cheio de alegria no seu coração, logo transmitiu e espalhou pela povoação.

Toda a gente correu para as fragas daquele lugar, hoje conhecidas por Fragas de Nossa Senhora das Candeias, lindo lugar, digno de se visitar!

- Desde esse tempo, a Senhora das Candeias das Paredes foi sempre a Padroeira que, nas longas noites de inverno, ilumina a nossa lareira; diz sorridente e crente o Delfim!

Apareceu em Paredes a Senhora Milagrosa, no concelho de Sabrosa, lugar por muitos visitado, sem medo. Ainda de longe, lá se vê Nossa Senhora no meio do penedo!

Tudo isto é verdadeiro e, no mesmo lugar, existe agora um cruzeiro.

- Também lá se encontra a argola onde a Senhora prendia o burrinho! Tudo isto eu conto com muito carinho.

Antigamente havia mais fé na "Senhorinha" e existia lá uma capelinha. As gentes iam rezar e a banda de música tocar.

Esta e outras histórias e lendas, rimadas, eram, ainda há poucos anos, contadas e cantadas em tom dramático ao som de bandolim, nas feiras e romarias, como em Saudel, um pouco abaixo do lugar da Senhora das Candeias, na romaria de Nossa Senhora da Saúde que se realiza desde tempos imemoriáveis, todos os anos, nos dias 7, 8 e 9 de agosto.

Paróquias do arciprestado de Mirandela

Blogues ou site das paróquias do arciprestado de Mirandela

Fiz uma pesquisa por algumas das paróquias do arciprestado de Mirandela e apercebi-me que a de S. João Bosco (Salesianos) tem a estratégia de fazer chegar a sua mensagem e informação através da internet. Fá-lo pelo «Facebook» com o site: https://www.facebook.com/ParoquiaSJoaoBosco. Depois o município dá alguma informação no seu site sobre as três paróquias da cidade, esquecendo as do meio rural.

Ler mais...